História da minha cabeleira – Caroline Andrade

Heey, minhas cacheadas! E meus cacheados também… cadê os meninos deste lugar? ^^
Como vocês já perceberam, o blog está apenas começando, logo, precisamos botar ordem na casa o/

Pra começar, vou contar toda semana a história de uma cabeleira diferente. Vocês já conhecem a minha, agora eu quero conhecer a de vocês!

Hoje vocês vão conhecer a história da cabeleira da Carol. Ela, que é uma querida e dona de um black poderosíssimo!
“Olá, xuxu! Bem, assim como você sempre gostei de cabelos naturais e que valorizem a nossa personalidade. Como não admitia fazer alisamentos mas não sabia cuidar dos cachos, fazia relaxamentos para ”abaixar” a raiz frequentemente. E como de costume, épocas festivas tinha a famosa dupla prancha e escova.
carol 1

Porém, para a felicidade da nação, uma nova franquia especializada em cabelos cacheados abriu uma filial em um bairro vizinho. Fiz o teste e fiquei satisfeita com o resultado, finalmente \o/. Um ano se passou e tomei coragem para o big chop. Fiz por opção, para dar uma guinada no meu estilo, meu verdadeiro estilo. 

Além de críticas, apelidos não faltaram. De falta de feminilidade até a questionamentos sobre minha opção sexual. As pessoas ainda têm muito preconceito com cabelos curtos, infelizmente. Apesar de ter um emocional relativamente frágil, essas coisas não me abalaram com tanta intensidade. Estava muito feliz pra me importar…

Com o passar dos anos comecei a colher os frutos. Além da química, eu também tinha uma nova auto-confiança para cuidar dos cachos como deveria. Aliás, as roupas e acessórios acompanharam a evolução, me transformei!

Carol final

Hoje me sinto plena e realizada! ” 

*o* Que linda transformação, hein, Carol! Você se libertou, mostrou a sua verdadeira identidade e ainda ficou incrivelmente linda!

A Carol foi a primeira, e chegou em grande estilo!
E você, minha cacheada… quer aparecer aqui? Me mande a história da sua cabeleira na nossa fanpage! Quero saber tuuudo, hein?! Estou aguardando ansiosamente cada uma de vocês! ;*

Anúncios

Okay, decidi assumir a cabeleira… mas e agora, o que é que eu faço?

Hey, minhas cabeludas! Este post é pra você que decidiu assumir o seu cabelo natural mas está em dúvida quanto a o que fazer daqui pra frente.

O primeiro passo, que é o mais importante, você já deu… que é decidir voltar aos cachinhos. Agora, você tem duas opções. Primeiro, fazer o “big chop”, ou passar pela transição. Vou falar um pouquinho sobre os dois pra vocês.

O big chop é aquele corte “joãozinho”, o corte na raiz que tira toda a parte com química de uma vez.

bc

Muitas meninas têm receio em fazer o corte, cada uma por suas razões, umas têm vergonha, ficam imaginando o que os outros vão pensar ou acham que ficarão feias, etc.. Pois eu digo pra vocês, quando eu fiz o meu big chop, algumas pessoas me julgaram bastante… umas acharam que eu tinha virado lésbica (uma até deu em cima de mim), outras acharam, acreditem, que eu estava fazendo tratamento contra o câncer ‘-‘ e outras mais acharam simplesmente que eu não tinha o que fazer. Enfim, os olhares e julgamentos foram vários, mas eu não me deixei abalar por nenhum. Eu estava decidida desde o início, tinha um objetivo em mente e foi nele que me apoiei pra ignorar as opiniões de qualquer pessoa. O corte curtinho valoriza a beleza da mulher, meninas.. E eu não digo isso só porque passei por ele ou porque quero convencer alguém a fazê-lo. Digo isso porque é verdade. Ele tira a “moldura do rosto” mas valoriza o quadro, que é o seu rosto e seus traços. A mulher é bela na sua essência. Cada traço seu é valorizado. Porém. se mesmo assim você não se sete segura o bastante para fazer o big chop, não se desespere e muito menos desista.. transiçãoVocê ainda pode optar por passar pela transição. A transição consiste em você ir deixando o cabelo crescer e cortando aos poucos. Durante o processo, você pode usar cremes para definição de cachos, usar ampolas (vendidas nas farmácias) que ajudam o crescimento do cabelo, etc… Você deve cuidar muito bem dele e eu recomendo que tente evitar a chapinha. Muitas meninas vão alisando a raiz até o cabelo chegar no comprimento desejado para o corte, para que a linha que separa a raiz natural da parte com química não fique tão visível.

Seja qual for a sua decisão, existe uma palavra de lei que vc você tem que ter em mente sempre: PACIÊNCIA. Existem cabelos que crescem mais devagar e outros que já têm certa facilidade. Seja qual for a sua decisão, aproveite cada estágio dessa mudança, use e abuse de acessórios para valorizar o seu cabelo, seja ele curto ou comprido. Auto-estima, objetivo e paciência, se você tiver essas três coisas, nada poderá te abalar nesse caminho. Aprecie-se sem moderação ;))

Penteado com “rolinhos” – passo a passo

Imagem

Heeey, cacheadas da minha vida! Não me esqueci de vocês. Voltei, e com força total o/ ;))

Vou ensinar pra vocês hoje um penteado que eu amo usar e que é super discreto hihi ele dá mais volume e valoriza demais os cachos! Em breve postarei um vídeo ensinando novamente mas, por ora, fiz um passo a passo apenas com fotos pra vocês ^^ vamos lá e força na peruca \o/

 

1. Separe os cachos e solte a raíz de modo a deixar o cabelo bem volumoso. É assim que eu faço, mas quem não gosta de volume, pode fazer com ele baixinho tb.

2.Eu uso o cabelo de lado, então começo a separação das mechas no ponto de divisão do cabelo.

3. Separe uma mecha de mais ou menos 1cm de espessura. É essa divisão que vai definir a grossura dos seus “rolinhos”.

4. Na mecha que vc separou, segure firme a partir da raiz e vá puxando para trás e enrolando ao mesmo tempo. O segredo está aí. Enrole puxando para trás e vá juntando com a raiz do cabelo no resto da mecha que já está separada. Se vc sentir que está ficando frouxo, aperte mais.

5. Para prender o “rolinho”, use um grampo comum, mas atenção à maneira de prender q é de trás empurrando pra frente, e não o contrário. Deste modo o “rolinho” fica muito mais preso.

6. Repita os passos anteriores. Dependendo do tamanho das divisões do cabelo, a quantidade de rolinhos pode ser maior ou menor.

7. Arrume o cabelo do modo que preferir. Como eu disse, gosto de volume e desse “efeito moicano”.

8. Penteado finalizado.

Usem e abusem do cabelo de vocês, meninas… vamos fugir do básico, porque nem todas tiveram o privilégio de nascer com um cabelo tão poderoso e cheio de possibilidades como o nosso ;))

 

 

História da minha cabeleira

Oii, meninas! Antes de mais nada, eu quero compartilhar com vocês a minha história… a minha luta contra a chapinha.

Eu nunca gostei e nunca quis alisar o meu cabelo,  mas quando eu era mais nova não sabia cuidar dele direitinho, não sabia valorizá-lo e, por isso, acabei passando química nele mesmo sendo do contra. Eu não me sentia bem e vivia com ele preso.

Esta é a versão falsa e artificial de mim.

transição

A minha história começou a mudar há dois anos atrás, uma semana após eu ter feito um relaxamento, quando me deparei com algumas fotos e relatos de meninas que “aderiram ao natural” na internet… Explicavam como cuidavam dos seus cabelos e eu comecei a perceber o quanto o meu cabelo natural podia ser lindo. Eu pensava “Eu quero ter um cabelo assim. Eu POSSO ter um cabelo assim”. Eu estava decidida. Eu ia mudar. Aí, pesquisando mais e lendo alguns relatos por aí, eu vi que teria duas opções, ou eu passava pela transição, deixava o cabelo ir crescendo e ia cortando aos poucos até toda a química ter ido embora, ooou eu fazia o “big chop”, cortava toda a química de uma vez deixando o cabelo bem curtinho. Eu não pensei duas vezes. mesmo não tendo quase nada de raíz natural, fiz o big chop.

A foto abaixo foi tirada dois meses após o corte, então vocês podem ver que eu cortei beeem curtinho mesmo.

big chop

Alguns disseram que eu tinha enlouquecido. As pessoas não entendiam  que me motivou a cortar o cabelo tão curto. Criticavam e diziam que eu ia me arrepender, mas eu dizia que era por razões maiores, e além do mais, eu estava adorando o meu novo visual.

O tempo foi passando, o meu cabelo foi crescendo e as pessoas foram entendendo. Eis a minha razão. Esta sou eu de verdade.

DSC00396

Amo os meus cachos e morro de orgulho deles. Por isso eu digo a vocês, meninas que ainda estão na dúvida se cortam ou não: tenham coragem, vão em frente e não ouçam o que alguém possa vir a dizer pra vocês. Como diz a música “deixe que digam, que pensem, que falem”. Você é linda à sua natureza. Seja você mesma. Seja autêntica.

Esta é a minha história, meninas. E a de vocês, qual é?